1662235337093.jpg

Tenho uma grande admiração pelas câmeras de aparelho celular (smartphones) por sua praticidade e rapidez. Tenho utilizado bastante este suporte que para mim traz a subjetividade, sentidos sem o compromisso com a permanência, imagens transitórias que existem na rede e alimentam o olhar contemporâneo. São trabalhos filmados, editados e publicados no celular, com o uso de todo tipo de tecnologia disponíveis em filtros, efeitos e lentes, em um livre olhar o cotidiano.

FOLIA (1)_edited.jpg
 
urucumcurauruca (32)
urucumcurauruca (32)

press to zoom
urucumcurauruca (1)
urucumcurauruca (1)

press to zoom
IMG_5277
IMG_5277

press to zoom
urucumcurauruca (32)
urucumcurauruca (32)

press to zoom
1/20
 

URUCUM CURA URUCA (coletivo ECOAR)

Participação na intervenção do coletivo ECOAR no evento natureza Expandiada com a participação dos artistas Marta Niklaus, Sergio Harari, Suely Fahri, Ilana Braia, Jacqueline Belotti com a participação do artista indígena Xumayá Xya e Rosa Bernardes.

Árvores Urbanas
Árvores Urbanas

Intervenção urbana por Rosa Bernardes

press to zoom
Árvores Urbanas
Árvores Urbanas

Intervenção urbana por Rosa Bernardes

press to zoom
Árvores Urbanas
Árvores Urbanas

Intervenção urbana por Rosa Bernardes

press to zoom
Árvores Urbanas
Árvores Urbanas

Intervenção urbana por Rosa Bernardes

press to zoom
1/4
 

ÁRVORES URBANAS

Árvores urbanas é um trabalho onde a partir de cenários urbanos onde árvores são manipuladas para caberem nas calçadas, a artista fez intervenções para chamar a atenção da necessidade de uma maior conexão com o solo.

1533 ÁRVORES
1533 ÁRVORES

Intervenção urbana por Coletivo Vargem Grande

press to zoom
1533 ÁRVORES
1533 ÁRVORES

Intervenção urbana por Coletivo Vargem Grande

press to zoom
1533 ÁRVORES
1533 ÁRVORES

Intervenção urbana por Coletivo Vargem Grande

press to zoom
1533 ÁRVORES
1533 ÁRVORES

Intervenção urbana por Coletivo Vargem Grande

press to zoom
1/7
 

1533 ÁRVORES (coletivo de moradores)

No ano de 2012 a Estrada dos Bandeirantes foi duplicada, e nesta obra foram derrubadas 1533 árvores, mudando completamente a paisagem e a relação que os moradores tinham com a paisagem afetiva de seu bairro. Foi destruído o Largo onde aconteciam todas as manifestações culturais e sociais, onde árvores centenárias faziam parte da memória afetiva de muitas gerações. Organizamos então uma intervenção no dia da árvore onde 100 cruzes foram plantadas na praça em protesto a esse crime ambiental. Apesar da repercussão do ato, nunca foram replantadas as 1533 árvores prometidas pela prefeitura.